Pintando no Gimp ( II )

Pintando no GIMP

Há muito tempo atrás, eu tinha pensando se não seria possível utilizar as ferramentas Clone ( Clonar) e Smudge ( Borrar) para "pintar" no GIMP. Fiz algumas experiências e obtive efeitos que considerei interessantes, mas deixei isso de lado por vários motivos.


Há pouco mais de uma década, com Américo Gobbo, também utilizador do programa, pesquisador atento de seu potencial assim como de suas deficiências. Atuante no que diz respeito a sugerir acertos e melhorias aos que tem o poder de fazê-las e criador de pincéis excelentes para diversas utilizações, começamos a discutir e experimentar esses “outros meios” de empregar não só as ferramentas de pintura assim como algumas outras com a intenção de obter efeitos que se assemelhassem ao máximo às técnicas de pinturas tradicionais. A partir disso, desenvolvemos maneiras de utilizar tanto as ferramentas citadas acima com as de pintura (Paintbrush, Airbrush, etc), aliadas às dinâmicas, para realizar nosso propósito. Ainda não temos no programa ferramentas específicas para isso, mas conseguimos um resultado decente e visualmente agradável. É claro que o modo como desenvolvemos o processo tem suas limitações, mas são uma indicação clara aos desenvolvedores que o programa responde e atende muito bem à realização daquilo que podemos chamar de “pintura de alto nível”, ou “Fine Art”, o que atrairia a atenção de mais usuários para o programa. Ambos encontramos modos pessoais de realizar nossas “aquarelas digitais”, “Empasto” e outras técnicas. Cabe ao usuário escolher o método que melhor lhe atenda e experimentar, criar trabalhos a partir dos métodos que apontamos, expor os resultados através dos canais apropriados na internet. Aos desenvolvedores fica em nós a esperança de que olharão com carinho o esforço de ainda poucos, mas fiéis e dedicados utilizadores do programa, e que cooperem para que tenhamos em mãos ferramentas mais adequadas para aplicação efetiva do que tem sido nosso propósito que será de grande utilidade para muitos.

Vamos ao meu processo de "pintar utilizando a ferramenta Clone.

Primeiro, apresento um trabalho feito de imaginação, da série que dei o nome de "Retratos imaginários".

Vamos ao meu processo de "pintar utilizando a ferramenta Clone.
Primeiro, apresento um trabalho feito de imaginação, da série que dei o nome de "Retratos imaginários".



Meu processo de trabalhar com Clone e Smudge para obter efeito "Impasto"

Ferramenta Clone


1- Crio o fundo - geralmente utilizo um arquivo no tamanho A4 ou A3, com 300dpi
2- Crio uma camada ( no modo Multiply ) com textura para  simular um suporte onde será feita a pintura. A escolha do tipo de textura é livre. Pode ser uma textura do tipo Canvas(tela), papel ou madeira.
3- Crio uma paleta de cores para utilização na pintura numa camada que pode ser transparente ou na cor Branca. Essa paleta pode estar sobre a tela de pintura ou em um outro arquivo, separado, juntamente com a camada de textura. O importante é que esse arquivo tenha a mesma quantidade de DPI do arquivo da pintura.


4- Utilizo a tecla "CTRL" para capturar as cores da paleta e aplicá-las com a ferramenta "Clone" na pintura. Detalhe: Para um "efeito impasto" mais convincente deve-se escolher um pincel que NÃO seja opaco e sim um que tenha um aspecto mais apagado com ranhuras, pontilhados, traços ou pontilhados e formado vertical ou aparência de pincéis "sujos", com o interior da "marca", não muito preenchido e com bordas irregulares.


5- Na janela de diálogo "Opções de ferramentas", usando a ferramenta "CLONE", é preciso variar os valores do item "Opacidade" para que a pincelada seja aplicada com mais ou menos suavidade. 100% Obtém-se efeito bem intenso. É preciso marcar "Imagem" na caixa "Origem" para que a ferramenta capture as cores da paleta, e a aplicação de "Clone" deve ser sempre no modo "FIXO"!
6- A pintura é feita no "Fundo", mas pode ser feita em várias outras camadas criadas, dependendo do que desejar experimentar.
7- A ferramenta "Clone" tem várias opções de uso no item "Modo" ( Blend ). Eu utilizo mais o modo "Normal".
8- O Espaçamento" do pincel também é muito importante no resultado. Geralmente abaixo do valor 5, consegue-se efeitos muito bons. O pincel "Galaxy" do set padrão de pincéis do GIMP é um bom pincel para se obter o efeito de cerdas de pinceis para pintura mas é preciso trabalhar com ele no valor 5 ou menor e isso vai exigir mais processamento de sua máquina. Seria bom que um pincel desse tipo, para essa técnica, tivesse marcas mais "duras", mais delimitadas e escuras.
Para modificar esse pincel, clique sobre ele, na paleta de pinceis e escolha "Abrir pinceis como Imagem". Escureça a imagem do pincel usando Levels (Níveis) ou Curves(Curvas) e salve com outro nome na mesma pasta de pinceis que tem arquivado seus pinceis que não são os pinceis padrões do GIMP.
9- Quanto às Dinâmicas, Aconselho a criação de uma "Nova Dinâmica" na qual deve-se ativer, pelo menos os itens "Opacidade" e "Tamanho" no modo de variação pela "Pressão". E "Ângulo" no modo de variação pela direção do traço. Quanto às curvas desses itens, sugiro para "Opacidade" uma curva levemente feita para a esquerda da linha vermelha diagonal da caixa de controle por curvas. Para "Tamanho", uma curva feita para a direita ( vai variar a seu gosto e com relação à sua mesa digitalizadora ), quando quiser acentuar o efeito de uma pincelada que começa grossa e ao apertar a mão ela fique mais fina, mas você deve começar com força e ir diminuindo essa força na pincelada.
Já o ângulo, com o tempo, escolherá a melhor curva para seu estilo e uma curva que funcione bem segundo o poder de sua mesa digitalizadora.





Ferramenta Smudge ( Borrar)


1- Em "Opções de ferramentas", Varie "Opacidade" a seu gosto. Valores abaixo de 50 permitem uma mistura menos "dura".
2- O pincel pode ser o mesmo utilizado para a aplicação das cores com "Clone", ou não. Experimente trabalhar com picel em valores maiores que 180px de diâmetro e menores. Ative e desative a Dinâmica de "Tamanho" e observe os efeitos que conseguirá nas pinceladas.
3- O mesmo vale para as Dinâmicas, que podem manter o padrão das utilizadas com "Clone" ou não.
4- Na opção "Taxa" 100% é intensa mistura, com o efeito impasto bem caracterizado. Valores menores que 98 vão modificando e perdendo o efeito de tinta pastosa na pintura. Aos poucos, na medida que vamos abaixando os valores, o efeito de "Smudge" ou mesmo uma mistura (Blend) cada vez mais suave vai se acentuado.
5-A opção de marcar "Borda Dura" deve ser utilizada com cuidado, mas pode ser muito utilizada, dependendo da intenção e gosto do usuário. É sempre bom utilizar pinceis com bordas bem irregulares para usar esta opção.


Seguindo uma proposta do Américo, para exemplificar bem as possibilidades desse método, fiz uma releitura rápida de algumas pinturas conhecidas de artistas impressionistas ( Paul Gauguin e Cézanne).
Infelizmente, um dos videos, em sua versão original ficou muito longo e, ao reduzir a qualidade foi afetada, mas ainda assim, é possível observar os efeitos.







DICAS:
1- A camada usada como paleta de cores e outra, usada como textura, podem tanto ficar dentro do arquivo no qual o usuário está pintando como em outro arquivo menor, separado. O importante é que ambos tenham a mesma quantidade de DPI!
2- A textura  e também o tipo de pincel escolhido na aplicação das cores da paleta é o que irá ACENTUAR ainda mais o efeito impasto na utilização da ferramenta CLONE. Então a regra é: Quanto mais marcante ( intensa ) for a textura e o efeito do colorido feito pelo pincel, mais intenso será o efeito de impasto!
3- O ponto onde você captura a cor+textura pode influenciar no aspecto da mesma. Se capturar a cor+textura num ponto próximo à outra cor ou a um fundo branco da imagem, o efeito será diferente do que a captura da cor bem no centro onde foi aplicada a mesma.
4- A cor da textura irá influenciar todas as cores da paleta, por isso, é possível utilizar essa cor pensando naquela cor atmosférica que você queira que atue em toda a sua paleta. Para isso também, pode-se criar uma outra camada sobre a paleta e a camada da textura e aplicar a ela uma cor, e esta sim, passará a ser a "cor ambiente", que se influenciará todas as cores da sua pintura.

Detalhes das imagens:



 Exemplos dos efeitos:



Estudo



Veja também neste link:
https://blogdodesenhador.blogspot.com.br/2016/02/pintando-no-gimp.html

Mais sobre como Criar efeito impasto no GIMP:
https://plus.google.com/u/0/s/frescogimp/top 

Compare com as pinturas originais:
Paul Cézanne - Still Life with Apples
http://www.arthermitage.org/Paul-Cezanne/Still-Life-with-Apples.big.html 
 Paul Gauguin
https://en.wikipedia.org/wiki/Still_life#/media/File:Paul_Gauguin_116.jpg






Comentários

  1. Olá, já soube de um programa chamado Verve Painter? Ele simula pintura tradicional, é o programa mais preciso que conheço nesse quesito. Ele é gratuito e é fornecido para Windows, mas funciona no Linux através do Wine. Gostaria de ler um review seu sobre ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erik, eu estive olhando o programa. Muito interessante mesmo. Sabe se a mesa digitalizadora atua nele no Wine?

      Excluir
    2. Parcialmente, a sensibilidade a pressão não trabalha, mas visto que quase nenhum programa que testei suporta o recurso através do Wine, eu meio que esperava isso. Estou na expectativa que o desenvolvedor lance uma versão para Linux(está nos planos dele), ou o pessoal do Wine corrija o suporte a pressão.

      Excluir
    3. Vamos então escrever para esse desenvolvedor pedindo que lance essa versão com urgência!
      Seria muito bom ter um programa desses no GNU/Linux!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas