MyPaint - novo teste

Um estudo com pinceis que simulam técnicas molhadas no MyPaint. Cheguei a alterar um pouco alguns pinceis criados por outros artistas para conseguir efeitos que pretendia.


Nos desenhos abaixo, obre um fundo escolhido, da série que já vem por padrão no programa, utilizei um pincel que simula lápis 3B, ou mais macio.


Comentários

  1. Olá. Tenho uma dúvida que nem o Google consegue me responder. Agradeceria se você pudesse. Gostaria de saber se é possível publicar, profissionalmente e de modo independente, uma HQ usando apenas softwares livres.
    Pesquisando sobre isso, encontrei uma guerra entre aqueles que diziam que era só adicionar alguns plug-ins de conversão de cores do modo RGB para o CMYK no tal do GIMP, e aqueles que diziam que conversões nunca funcionam adequadamente, que o ideal é trabalhar direto no modo CMYK no tal do Photoshop, e que conversões não são bem aceitas pelas gráficas.
    Afinal, quem está mais próximo da verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse assunto é meio polêmico mesmo mas, é possível publicar HQs em cores CMYK para impressão em Off Set com SL SIM! Converse com o pessoal que vai imprimir e peça que te passem os perfis de cores CMYK que eles utilizam na impressão. Peça sugestão também sobre um perfil icc RGB para você utilizar na hora que estiver pintando. Configure corretamente o gerenciador de cores do gimp e o perfil de cores do seu monitor. Quando as imagens forem enviadas para o programa que monta a revista, será feita a conversão para CMYK e na impressão tudo vai sair bem. As alterações de cores, se houverem, serão mínimas e dentro do aceitável com relação ao seu "original" digital. O Gimp usa um gerenciador de cores no qual você escolhe os perfis icc RGB e CMYK pelos quais irá se guiar, e também usa plugins conversores, tipo o "Separate+". O Krita já te permite trabalhar em CMYK, direto, mas isso não é imprescindível.

      Excluir
    2. Desenho desde os 3 ou 4 anos (não me lembro, óbvio). Com 26, já tá passando da hora de eu fazer algo com o que eu sei, mas ainda estou tentando entender como tudo isso funciona.
      Tive contato massivo com a internet há pouquíssimo tempo e nela, tenho visto que há várias formas de se fazer isso, mas a que mais me chamou a atenção foi a publicação independente de quadrinhos através de sites de financiamento coletivo.
      Autodidata e pobre (risos), tenho pesquisado sobre as alternativas mais baratas de desenvolvimento e implementação de uma HQ. E é claro, como conseguir pessoas que me ajudem á realizá-la.
      Sei que, primeiro, é preciso mostrar o que eu sei fazer, conseguir seguidores e só então, depois de um certo tempo, ponderar se vale á pena começar um projeto.
      Aí vêm os computadores, que deveriam me ajudar, e eu sou obrigado a entender de coisas que não me interessam e que só me desanimam.
      Onde estão as pranchetas, os papéis de múltiplas gramaturas, as tintas, os pincéis, o NANQUIM.
      Seria tão mais fácil se eu pudesse apenas desenhar com os materiais certos e mandar para a gráfica.
      Enquanto isso, divido meu tempo entre estudar para concursos e sonhar em algum dia poder fazer a única coisa que eu, particularmente, acho que sei fazer bem.
      Muito obrigado, o seu blogue está me ajudando bastante.
      (Desculpa os erros de português) rsrsrs

      Excluir
    3. O correto é, e sempre foi, trabalhar diretamente no modo RGB. O pessoal é que ficou mal acostumado quando a Adobe começou a permitir que o os plugins do Photoshop funcionassem em imagens no modo CMYK.

      O correto, para pinturas e manipulações de imagens, é trabalhar no modo RGB, com a visualização corrigida para prova em CMYK.

      No Photoshop, ativa-se no menu "View -> Proof Colors", para corrigir com o perfil configurado em "View -> Proof Setup".

      No GIMP, menu "View -> Display Filters...", selecionar na lista "Available Filters" o item "Color Proof" e adicioná-lo na lista "Active Filters". Na configuração desse plugin, você escolhe o perfil de cor adequado, "Coated FOGRA39", por exemplo, "Intent" em "Perceptual" e "Black Point Compensation" ativado.

      Assim, você pinta em RGB, mas tendo a correção em tempo real de como ficará seu trabalho na impressão.

      :)

      Excluir
    4. É isso mesmo, Elvis. Muito obrigado pelas informações.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. anrram creditu,
    Se quer mesmo publicar, é preciso se preparar fazendo cursos e entrando em contato com outros que fazem o mesmo que você. mas tem uma coisa que serve para todos que estão começando: nos cursos aprendemos técnicas, só isso. A aptidão, a sensibilidade para a arte é outra coisa. Os métodos tradicionais continuam aí, firmes, mas os meios digitais tomaram a dianteira e não tem mais volta.

    ResponderExcluir
  3. Belos trabalhos Mozart! Fiquei um tempo sem visitar o blog e é muito bom ver novas pinturas.

    O Mypaint é o meu programa favorito, principalmente pela interface bem limpa. Gosto muito do que eles colocaram nos objetivos do projeto:

    "Manter a interface simples. Recursos avançados não devem atrair a atenção de usuários que estão felizes sem eles."
    http://mypaint.intilinux.com/?page_id=56 (segundo item da lista).

    Mas como você disse, dá muito bem para "navegar" entre esses softwares, e aproveitar o melhor de cada um! (E sem precisar pagar nada por isso! rs)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas