quarta-feira, 26 de junho de 2013

Shimamoto - Quadrinhos feitos com Katana!

Recebi essa dica do amigo fanzineiro e pesquisador gaúcho Denílson Reis. Uma verdadeira jóia! "Shimamoto, o Samurai dos Quadrinhos Brasileiros". Um documentário muito bom e, como sempre, qualquer papo com o Shima é uma agradável aula sobre muitos temas. Deixo aqui o vídeo na intenção de divulgar e dar minha colaboração na PRESERVAÇÃO dos grandes nomes do Quadrinho Nacional.

domingo, 23 de junho de 2013

E...ele usa GIMP!

Recentemente, descobri mais um artista que utiliza o GIMP em seus trabalhos. Achei-os muito bons! Para quem quiser conhecer melhor a obra de Caleb Thomas e ler uma matéria sobre ele que saiu no Libre Graphics World, clique aqui. Visite também seu Deviant.
Abaixo, deixo algumas imagens e vídeos de Caleb em ação.




Artwork by *dCTb
All work done in GIM
Original file size 3100x4960 @ 300dpi
Only standard GIMP brushes and filters used












sábado, 22 de junho de 2013

GIMP- Um arsenal de presets e pincéis à disposição

Essa postagem é para reforçar, trazer à tona novamente, informações sobre ferramentas importantes que podem ser agregadas ao GIMP 2.8 para atender melhor àqueles que utilizam o programa para desenhar e pintar profissionalmente.
Vamos falar sobre meus pacotes de pincéis para desenho e pintura, MZ Brushes, e MZ Sumi-ê Brushes; Sobre o Gimp Paint Studio 2.0 ( também chamado de “GPS”) e sobre os pacotes de pincéis Fork Brushes” e os de L'ubomir Zabadal.


mz gimp brushes, Made With Gimp


















MZ Brushes

Esse é um pacote de pincéis estáticos ( .gbr) e alguns outros, do tipo animados* (.gih), que criei para utilizar no meu dia a dia. Baixe o pacote aqui:
https://dl.dropboxusercontent.com/u/39776377/MZ_GIMP-brushes.7z
Descompacte o conteúdo copie e cole a pasta “MZ_brs” dentro da pasta “brushes” de suas pastas de trabalho do gimp, como descrito abaixo:
No Windows, fica em:
C :/ usuários/seu_nome_de_usuário/.gimp-2.8
No Linux, em:
/ home/seu_nome_de_usuário/.gimp-2.8
OBS: Esta é uma pasta oculta, no Linux. Clique Ctrl+H para vê-la no seu gerenciador de arquivos.
Em seguida, reinicie o gimp e utilize os pincéis.
Dica: Sempre que colocar novos pincéis nessa pasta .brushes é recomendácel, caso eles não apareçam na janela de pincéis, aplicar um “recarregar”(refresh) clicando no ícone de uma seta em curva que fica em baixo, da janela citada.
Os pincéis do tipo “.gbr”, desse pacote, não devem ser usados “crus” como estão. É melhor que aplique dinâmicas a eles. Crie a sua própria e escolha nas “opções de dinâmicas”, da “janela acoplável de dinâmicas”, as funções que deseja aplicar no pincel. Se quiser, pode salvá-las, criando assim pré-definições ou “presets” a partir das alterações que fizer.
DICA:
Para criar sua dinâmica pessoal, no diálogo de encaixe “Dinâmicas de Pintura” acesse Menu- Janelas- Diálogos de encaixe-Dinâmicas de Pintura e clique no segundo ícone em baixo, da esquerda para a direita. Uma nova janela de encaixe aparecerá. No campo vazio, logo acima de onde está escrito “Matriz de Mapeamento”,escreva um nome para sua dinâmica. Ela será salva e você poderá usá-la com qualquer ferramenta de pintura, borracha, ferramenta de retoque, etc, alterando as funções de pressão, força, cor (mistura de cor de frente com cor de fundo), ângulo, etc.
Veja nesse vídeo tutorial, como criar e atuar nas dinâmicas de pintura:

Aconselho fortemente o uso de uma mesa digitalizadora para trabalhar com esses pincéis e poder usufruir dos recursos oferecidos pelas dinâmicas.



mz sumi-ê brushes, Made with Gimp













MZ Sumi-ê brushes

Essa é uma série de pincéis que fiz, tentando simular, o máximo possível, os efeitos conseguidos com esse maravilhoso tipo de pintura. Para obter bons resultados, a chave é usar uma dinâmica de tal forma que o traço seja, no início da pincelada, mais fino e que engrosse rapidamente com qualquer leve força da mão. Para isso, é preciso configurar bem a função de pressão, ativando-a no item “tamanho”, nas opções de “Dinâmica de Pintura”. Em seguida, clique em “Matriz de mapeamento” e, depois em “Tamanho” crie uma curva agora, clicando na linha diagonal vermelha e arraste o ponto central para a direita e para baixo. Acompanhe os números “x” e “y” que aparecem no canto esquerdo, no alto, dentro dessa caixa de curvas. Dependendo do tipo de mesa digitalizadora e da sensibilidade da caneta, a curva pode ser maior ou menor para que se consiga o efeito de engrossar-afinar-engrossar como o desejado. Experimente, até chegar num ponto que seja o ideal para seu gosto. Depois disso, pode salvar como um preset ( baixe o manual do GPS e aprenda como criar presets ) e aplicar um nome a esse pincel que criou a partir dessa configuração assim não terá que refazer esse processo toda vez que quiser utilizá-lo.
A ativação do item opacidade” vinculado à “velocidade” do traço, pode oferecer um ótimo efeito, como se a tinta secasse de acordo com a velocidade da pincelada.
DICA QUENTE: Esses pincéis apresentam um efeito muito bom se forem utilizados com o valor de “Espaçamento” ( isso fica na parte de baixo da aba, ou janela acoplável “pincéis”) bem reduzido: Entre 1 a 5.
Detalhe: Isso exige mais processamento da sua máquina!
DICA de PINTURA: Uma sugestão é usar sobre o fundo, um layer, no modo multiplicar, preenchido com uma textura de papel de grão grosso, e pintar num outro layer, também no modo “multiplicar” abaixo do primeiro para que a textura aparece por baixo da pintura. Rebaixar um pouco a opacidade do pincel também pode parecer mais bonito o efeito da pincelada, simulando um umedecimento do papel, ou transparência da tinta.

Você pode baixar o pacote de Sumi-ê brushes aqui:























E ver os efeitos dos testes que fiz com esses pincéis, e outros, nessa série de vídeos:















Gimp Paint Studio 2.0

Guia de instalação 
Utilizadores do Windows XP / 7
Importante: Como o Gimp Paint Studio é um pacote de feramentas para o GIMP 2.8, é necessário que tenha o GIMP instalado no seu sistema.
1. Baixe o GPS_Gimp_Paint_Studio_2_0 da seção de downloads;
2. Descompacte e mova
seu conteúdo para a pasta .gimp-2.8.
Normalmente, ela está localizado em:
c :/
usuários/seu_nome_de_usuário/.gimp-2.8
3. Execute o Gimp e desfrute novo conjunto de ferramentas
Para utilizadores do Linux
1. Baixe o GPS_Gimp_Paint_Studio_2_0 da seção de downloads;
2. Descompacte e mova
seu conteúdo para a pasta .gimp-2.8.
Normalmente, ele está localizado em:
/ home/
seu_nome_de_usuário/.gimp-2.8A pasta gimp-2.8 no diretório /home é uma pasta oculta por padrão. Para vê-la, clique CTRL+H
3. Execut
e Gimp e desfrute do novo conjunto de ferramentas
Opcionalmente, você pode instalar
o arquivo “sessionrc” que apresentará um arranjo diferente de abas e caixas de ferramentas na interface do GIMP.
Para isso,
baixe “sessionrc” , descompacte e copie os arquivos para a pasta raiz .gimp-2.8 que fica nos local descrito acima ( ver Windows e Linux).
Note que ao colar na pasta pasta raiz .gimp-2.8 o arquvivo “sessionrc” que você baixou este irá sobrescrever um outro “sessionrc” que vem por padrão no GIMP. Se você não tem certeza se você vai querer essa mudança na caixa de ferramenta e outras abas e janelas flutuantes, por favor, faça cópia do arquivo padrão “sessionrc” para outro local no seu sistema antes de colar na sua pasta raiz esse outro, que vem com o GPS, assim, se quiser reverter o arranjo de abas e caixas de ferramentas para o modo padrão, basta copiar e colar na pasta raiz novamente o arquivo “sessionrc” que você copiou e salvou em outro local do seu sistema. Quando abrir de novo o GIMP estará tudo como antes.
NOTA: O arquivo “sessionrc” vem com a extensão “.txt” para que não sobrescreva o sessionrc original; portanto, depois de fazer um back up do arquivo original, cole o “sessionrc.txt” que baixou e o renomeie, apagando a extensão “.txt” para que funcione corretamente quando abrir o gimp!
Para acessar os pincéis e efeitos do GPS, você deve escolher uma ferramenta, por exemplo o pincel e, em “Opções de ferramentas”, clicar no segundo ícone em baixo. Então serão mostradas, numa lista flutuante, todas as pré-configurações ou variações de tipos de pincéis, existentes no GPS, referentes à ferramenta pincel. Basta clicar sobre qualquer uma delas e utilizar.
Ver exemplo abaixo:
Se estiver usando a interface padrão do GPS, há uma janela só para os presets entre as janelas e paletas acopláveis na tela.
Essas pré-definições carregam não só os vários tipo de pincéis (ou outras ferramentas) do GPS, como também as “dinâmicas” referentes a ele, ou seja: os efeitos de pressão; giro; intensidade da cor, etc que esses pincéis apresentarão ao serem utilizados com uma mesa digitalizadora. Por exemplo: se você quer usar um pincel que simule os efeitos de um lápis de desenho, escolha a ferramenta pincel, em Opções de Ferramentas clique no segundo em abaixo, nessa janela de opções e escolha entre os diversos tipos de lápis que lá aparecerão.(Se estiver usando a interface padrão do GPS, há uma janela só para os presets entre as janelas e paletas acopláveis na tela.) 



Ao traçar no seu arquivo, terá o efeito de um determinado lápis com suas características próprias. Isso facilita para o caso de precisar usar muitas vezes uma ferramenta com as mesmas características, como por exemplo, o lápis para desenhar, ou um pincel que simule a pintura a óleo, etc. Você pode alterar o diâmetro da ponta dessa ferramenta pré-definida e outras características “dinâmicas” e salvar como uma nova pré-definição ou “preset” do GPS. Para saber mais acesse:





Fica aqui uma importante e última dica: Os efeitos dos presets podem apresentar características não tão idênticas para um utilizador de mesas digitalizadoras Wacom ( Com a qual foram criados os presets do GPS ) como para um utilizador de uma mesa “non-wacom”. No entanto, essas diferenças podem não ser tão grandes já que as mesas “non-wacom” tem se aproximado bastante do desempenho de alguns modelos mais usuais das Wacom.


























Forks and Drills Brushes

Esses pincéis, desenvolvidos por José Américo Gobbo, tem características bem especiais. Ao experimentá-los, na época que que colaborei com Gobbo, fazendo vários testes, chamei-os de metamorfoseantes. Muitos deles são pincéis do tipo “Animados” (.gih). Pouco explorados por muitos usuários, ao que parece, esses pincéis são bastante úteis e permitem efeitos curiosos. A meu ver, a intenção ao criá-los foi a de conseguir efeitos dinâmicos, em contrapartida aos efeitos mais comuns dos pincéis .gbr, que são estáticos. Pincéis dinâmicos podem ser muito úteis para criar texturas e podemos utilizá-los sem uma mesa digitalizadora, apenas usando o mouse e “carimbando”. Esse fator da animação compensa a falta das funções da mesa gráfica. São feitos a partir de diversas imagens com fundo transparente e sobrepostas em camadas. Essa base estrutural deve ser feita dentro de certos parâmetros. Em seguida, na caixa de diálogo de criação desse pincel, podemos escolher certas opções geradoras de efeitos aleatórios, dimensionais e outros, dando à pincelada um comportamento dinâmico, gerando efeitos sofisticados.
Já os pincéis estáticos (.gbr) do pacote Forks podem ser utilizados normalmente ou com dinâmicas de pintura. Os resultados são excelentes e surpreendentes em muitos casos!A maioria simula técnicas secas como pastel, crayon, lápis e outros. Mas, também encontramos entre eles os que simulam efeitos das técnicas húmidas como a aquarela, a tempera húmida, ou acrílicas bem aguadas e até óleo diluído. até os que podem ser usados para se obter efeitos de xilogravuras. Independentemente de toda essa capacidade de simulação das técnicas tradicionais, não digitais, todos os pincéis da série podem ser utilizados para desenvolver formas variadas de arte digital, mais convencional ou de vanguarda, experimental, conceitual.
Você pode baixar o pacote com todos aqui:
Consulte mais sobre pincéis em
E entenda como organizar e administrar os pincéis no GIMP 2.8 aqui:
Mais sobre o projeto Forks:



























Zabadal brushes

A série de pincéis disponibilizada para uso no GIMP por L'ubomir Zabadal, professor assistente de artes na Universidade de Nitra, na Eslováquia, compõe-se de um grupo de pincéis que podem também ser utilizados apenas com mouse -mas nada impede que sejam também usados com mesas gráficas com ótimos resultados- e foram projetados para simular técnicas como
woodcut, litography, red chalk, drypoint, ink drawing”. Um texto interessante no qual Zabadal fala sobre suas intenções na criação desse pacote e um pouco de sua história pode ser lido aqui:
Zabadal utiliza seus pincéis com muita criatividade, muitas vezes trabalhando sobre um fundo escuro, obtém imagens abstratas de intensa força e beleza. Algumas de suas criações podem ser conferidas nessa postagem do blog Forks And Drill For Graphics Artists http://forksanddrills.blogspot.com/2012/07/lubomir-zabadal-nitra-university-gimp-brushes.html
Essa amostra, nos permite antever o quanto esses pincéis podem ser excelentes ferramentas nas mãos de artistas criativos que adotam estilos tanto figurativos como abstratos.
O pacote de pincéis de L'ubomir Zabadal pode ser baixado aqui:
http://forks-and-drills.googlecode.com/files/zabadal-brushes.zip




LJFHutch
Sam Hutchinson

Australiano, artista digital profissional, LJFHutch, disponibiliza em seu DeviantArt uma excelente série de brushes para criar e aprimorar o desenho e a pintura de rochas e coisas que requeiram uma textura bem natural, feita manualmente através do mouse ou da mesa gráfica.
No endereço abaixo, o usuário encontra uma ótima série de pincéis para textura e para desenhar/pintar vegetação, além de outras coisas como água, fumaça, pedras e os que simulam traço a carvão, além de outros, animados. Vale muito a pena ter no seu "arsenal" esses pacotes.


Como vemos, o GIMP nos dá muitas opções para executar um trabalho decente e de alto nível. Experimentá-lo, sem medo ou preconceito, pode ser uma experiência surpreendente e muito gratificante para qualquer profissional da área. É claro que muitas coisas precisam melhorar e isso tem sido feito. Mesmo que não tão rápido como muitos de nós desejaríamos, mas tem sido feito.

Ainda sobre todo o arsenal de pincéis:
Podemos usar separadamente os pacotes, de acordo com o trabalho que estivermos elaborando e que, porventura, possa requerer esse ou aquele tipo de pacote ou de grupos de pincéis. E isso é muito simples: basta manter todos os pacotes numa pasta do seu diretório de usuário, que seria como uma grande “prateleira”, e copiar os grupos de pincéis que queiramos utilizar para a pasta “/.gimp-2,8/brushes”. Depois é só acessá-los, utilizando o método de procura pelos nomes desses grupos, ou pacotes no campo ao alto da janela acoplável “pincéis”. Quando não precisarmos mais, é só deletá-los, mantendo a pasta prateleira” sempre resguardada.

DICAS FINAIS:
Link para baixar o MANUAL DO GIMP PAINT STUDIO EM PORTUGUÊS. É tradução da primeira versão do "GPS", mas é útil ainda. Nele vocÊ pode ter uma boa visão do que é o GPS e como são os efeitos dos "presets".
https://code.google.com/p/gps-gimp-paint-studio/downloads/detail?name=GPS_Gimp%20Paint%20Studio%201_2%20manual%20Portugues.pdf

quarta-feira, 12 de junho de 2013

GIMP PAINTER


Crying, Made with Gimp Painter
Lembram-se do “Gimp For Painters”, ou Gimp Painter? Não, não é o “GPS”, ou Gimp Paint Studio. O Gimp Painter é um “fork”, ou uma derivação do GIMP, que atende a Pintores digitais com recursos como girar a tela de pintura, usar texturas nos pincéis, usar uma nova função ( blending) que mistura as cores entre si e com o fundo de forma muito diferente que o conhecido “smudge”, e outras coisas. Enfim, essa excelente ferramenta continua sendo desenvolvida por desenvolvedores japoneses, e é possível baixar essas versões em andamento. Eu mesmo estou rodando uma, no Windows 32bits e vai muito bem! Agora, o programa traz o motor dos pincéis e estes, é claro, do MyPaint, ou seja: é possível utilizar pinceis do MyPaint “dentro” do próprio Gimp Painter com resultados excelentes. Também já está funcional o recurso de girar a tela sem deterioração da imagem. É possível baixar uma versão para Windows aqui:
Há versões do GIMP 2.8x e do Gimp Painter 2.8. Escolha a versão adequada à arquitetura do seu computador e baixe.
Há também outro site onde se pode baixar versões do GIMP 2.8x para Windows e MAC, plugins sendo algumas com mudanças e ainda uma outra derivação do GIMP - RGGJAN Fork- que traz um plugin de seleção aprimorada e separação de figura do fundo. Muito adequada a fotógrafos. O endereço é:
Outra boa notícia é que ele é PORTABLE -assim como era o 2.6), basta desempacotar em algum local da sua máquina, entrar na pasta e clicar no arquivo executável gimp-run-2.8
Mesmo que tenha uma versão instalada do GIMP Oficial, não há conflito.
Há uma comunidade “nascente” de usuários no google+ comunidades. O Endereço é:
https://plus.google.com/communities/100755703790782690983 ( esse endereço é acessível a quem pertence ao G+). Lá é possível obter vários links interessantes sobre o programa, dicas com imagens, sobre as novas funções em ação, e ainda há um link para ensinar como fazer a compilação para Linux.
Eu espero que alguém faça um ppa para que seja possível a instalação de forma mais simples no sistema do pinguim!
Segue um video de demonstração de algumas dessas novas funções:

E aqui, vídeos que fiz, explorando um pouco as novidades



sábado, 8 de junho de 2013

KRITA


Índio do Brasil. Made with Krita

De volta ao blog, depois de um tempo de descanso, quero mostrar um teste feito no KRITA. Esse é um programa que roda em LINUX - parece que há uma versão para Windows também- e que já comentei sobre ele na fase anterior do blog. O programa tem evoluído muito devido ao time de desenvolvedores que parece fazer um trabalho intenso e consistente. Com a participação de David Revoy e Ramón Miranda, além de outros talentos do universo de ilustradores do Software Livre no time, tende a chamar mais atenção e torço para que seja mais uma força entre os “Programas Gráficos Livres”.
Instalei uma versão bem atualizada, que, embora seja considerada instável ( testing ) por trazer sempre o que há de mais novo, algumas coisas experimentais, sem a necessidade de atualizar o sistema, ainda não apresentou nenhum bug  sério. Tenho feito meus testes com tranquilidade e prazer. Só lamento não poder experimentar outras mesas gráficas que não as da marca Wacom, já que o programa só aceita - com funções de pressão- as mesas da referida marca.
Abaixo mostro a imagem inicial, um close ( acima), para que se possa admirar os efeitos das pinceladas; uma imagem final e os videos do processo de uma ilustração que fiz recentemente e achei que seria bom compartilhar aqui.

Captura de tela- Índio do Brasil, made with Krita

Índio do Brasil. Made with Krita

Utilizei poucos pincéis, mas os efeitos me agradaram bastante. Pude utilizar o efeito de desenho/pintura com simetria e outras funções. Também descobri que o programa trabalha com pincéis do GIMP 2.8, com os quais já tenho bastante intimidade, mesmo porque, alguns deles foram adaptados do meu pacote de pincéis - clique para baixar -pelo Ramón Miranda e incluídos entre o set padrão de pincéis da versão citada acima do GIMP.
Espero que gostem. Aos puristas, aviso que a imagem foi feita de imaginação, portanto os detalhes de apetrechos e cores em geral, assim como a pintura no rosto do índio, não são estritamente fiéis ao real. O intenção foi experimentar o programa num desenho feito de memória e com expressividade, realizado em alguns minutos.
Voltando ao Krita, o programa também pode ser instalado em distribuições Linux, pelo terminal, ou pela Central de Programa, no caso das distribuições ligadas à Canonical ( Ubuntu e outros “sabores”) ou pelo Synaptic.
Detalhes técnicos:
Programa Utilizado –Krita Version 2.8 Pre-Alpha
(Using KDE Development Platform 4.10.3)
Sistema Operacional: Linux Xubuntu 13.04
Mesa Digitalizadora: Wacom Intuos 4 (A4)